fbpx
metodos de avaliacao da composicao corporal

Métodos de avaliação da composição corporal: conheça os principais!

Atualmente, existem eficientes métodos de avaliação da composição corporal que os profissionais podem utilizar. Nutricionistas, nutrólogos e educadores físicos precisam adotar estratégias diferenciadas para entender o avanço de seus pacientes e a metodologia correta para medir essa evolução, bem como seu estágio inicial.

Esses processos podem mudar bastante de acordo com o perfil e as necessidades de cada paciente. Por isso, é fundamental conhecer os principais métodos de avaliação da composição corporal e a forma de atuação de cada um.

Foi pensando nisso que resolvemos elaborar este conteúdo. Nele, mostraremos os principais métodos de avaliação da composição corporal e suas principais características. Continue lendo!

IMC

O IMC é o mais simples e conhecido dos métodos de avaliação da composição corporal. O cálculo considera o peso em quilos dividido pela altura ao quadrado. Desse modo, o resultado entra para uma tabela dividida em:

  • desnutrição;
  • eutrofia;
  • obesidade níveis I, II e III.

Assim, o Índice de Massa Corpórea é utilizado para a prescrição de dietas e reeducações alimentares, principalmente em pacientes que já estão em quadro de obesidade.

Circunferência

Outro dos métodos de avaliação da composição corporal é a medida de circunferências. Consiste em utilizar uma fita métrica para medir áreas específicas do corpo, como cintura e quadril.

A OMS determina que a medida seja feita horizontalmente por cima do umbigo, no local em que temos a gordura visceral. Ademais, o quadril deve ter sua medida na posição ortostática, considerando sempre o maior ângulo da circunferência das nádegas. Com essas medidas é possível chegar a outro indicador importante, o RCQ.

A Relação Cintura x Quadril é considerada normal quando temos 0,80 cm para mulheres e 0,90 cm para homens. Então, valores superiores são sinais de alerta e podem estar relacionados ao surgimento de doenças crônicas como o diabetes, hipertensão arterial, síndrome metabólica, entre outras.

Pregas cutâneas

As pregas cutâneas também visam estimar o percentual de composição corporal. Contudo, nesse caso, a ferramenta utilizada deixa de ser a fita métrica e passa a ser o adipômetro. Existem vários métodos e abordagem dessa técnica. Os principais são:

  • 3 e 7 dobras, de Jackson e Pollock;
  • 4 pregas, de Petroski, muito utilizado no Brasil desde 1995;
  • 3 pregas, elaborado por Guedes e amplamente utilizado no Brasil.

Bioimpedância

Por último, temos a bioimpedância. O equipamento emite uma corrente elétrica de baixa intensidade que percorre pelo corpo do paciente. Desse modo, a massa magra oferece menos resistência da passagem dessa corrente, diferentemente da gordura. Com base nesse princípio, faz-se uma estimativa de quanto da composição corporal é gordura e massa magra. Assim, é preciso adotar alguns cuidados para ter um resultado preciso. Entre eles:

  • jejum de 4 horas antes do exame;
  • não praticar atividades físicas nas últimas 24 horas;
  • urinar antes do exame;
  • remover assessórios de metal.

Por fim, é importante entender que a escolha de um dos métodos de avaliação da composição corporal dependerá das necessidades do paciente. Em determinados casos, o IMC pode não ser interessante, principalmente nas pessoas que praticam atividades que visam a hipertrofia.

Outro exemplo: as pregas cutâneas podem gerar resultados incompatíveis com a realidade em caso de pessoas com muito peso em excesso. Já a bioimpedância pode apresentar resultados diferentes caso o paciente tenha consumido algum tipo de líquido ou alimento antes do exame. Portanto, o ideal é que o profissional tenha a sensibilidade de entender eventuais erros no exame, percebendo a necessidade de optar por outra abordagem.

Por fim, ao escolher o método de avaliação da composição corporal mais adequado ao paciente, você terá mais chances de acertar no diagnóstico e sua prescrição. Dessa forma, aumentando as chances de conquistar resultados positivos no tratamento, independentemente de seus objetivos.

Para ajudar ainda mais nesse processo de análise do paciente, oferecemos outra opção de leitura do nosso site. Neste artigo, mostraremos tudo sobre o rastreamento metabólico e como ele pode ser utilizado.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.