fbpx
doencas-psicossomaticas

Psicodermatologias: a relação entre doenças psicossomáticas e manifestações na pele

Diante do crescimento no número de pessoas acometidas por doenças psicossomáticas, percebemos como a ansiedade e o estresse fazem com que os pacientes desenvolvam uma série de enfermidades. Aliás, muitas afetam diretamente a pele, os cabelos e outros aspectos estéticos do corpo.

Entender a origem desses problemas, aplicando o diagnóstico preciso e tratando diretamente a causa, facilita a recuperação total da saúde e estética do paciente. Portanto, veremos a seguir quais são as principais manifestações na pele desencadeadas por questões emocionais.

Alopecia areata

A alopecia areata tem fatores etiopatogênicos, mas também pode ter motivações psicológicas/psiquiátricas. Alguns estudos demonstram que quase 93% dos pacientes com essa enfermidade têm algum tipo de transtorno mental.

Após a identificação do transtorno, inicia-se a intervenção psicológica para realização de um tratamento eficaz. Em seguida, é importante inserir algumas abordagens que auxiliem na recomposição dos fios e no fortalecimento do couro cabeludo, garantindo um crescimento firme e duradouro.

A abordagem mais comum é com o auxílio de suplementos alimentares, loções e shampoos, além de outras substâncias tópicas.

Tricotilomania

A tricotilomania tem complexidade etiológica, ambiental e genética. Entre as principais causas, estão as comorbidades psiquiátricas, incluindo depressão e fobias. A área do corpo mais afetada é o couro cabeludo, devido ao ato de arrancar os fios, manipulando-os entre os dedos ou executando outras ações.

O chamado “transtorno de puxar o cabelo” pode apresentar casos mais graves, envolvendo o vértice, mantendo apenas o cabelo nas margens e provocando um aspecto muito desagradável para o paciente. O tratamento é feito com o uso de medicamentos e terapias para trabalhar a questão emocional.

Psoríase

Outro tipo de doenças psicossomáticas que afetam questões estéticas é a psoríase. Essa manifestação é associada a questões genéticas e fatores ambientais ligados ao estilo de vida do paciente. Portanto, também pode surgir comumente em períodos de estresse pós-traumático, por exemplo.

Sob esse ponto de vista, a psoríase tem uma grande prevalência relacionada a alterações psicológicas e mentais. Desse modo, a escolha do tratamento considera elementos como o estresse e a ansiedade, além de trabalhar o quadro clínico e o comprometimento psicológico que existe com o surgimento das feridas.

Urticária

Outra modalidade dos tipos de doenças psicossomáticas é a urticária. Essa irritação cutânea pode surgir de repente em diversas regiões do corpo. Ademais, o quadro pode ser agudo, durando até seis semanas, ou crônico, podendo durar meses ou anos.

Diferentemente de outros tipos de doenças psicossomáticas, essa manifestação cutânea tem relação direta ao estresse e à ansiedade. Nesse sentido, além de trabalhar no tratamento das manchas e feridas, se faz necessário adotar abordagens para regular questões psicológicas.

Por fim, podemos concluir que a maior parte das doenças psicossomáticas pode ser solucionada ou ter seus sintomas reduzidos com a adoção de abordagens que atuem na redução do estresse oxidativo e da ansiedade. Além disso, é importante atuar com medicamentos, suplementos e soluções tópicas que tratam os efeitos colaterais das enfermidades.

Se você gostou deste conteúdo, assine a nossa newsletter para continuar recebendo informações valiosas em nossas novas postagens.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.