fbpx
idosos com síndrome pós-COVID

Idosos com síndrome pós-COVID-19: como lidar com esses pacientes

Os idosos com síndrome pós-COVID-19são os que mais sofrem com as consequências da infecção. Inclusive, eles representam 54,7% das hospitalizações e mais de 75% dos óbitos, segundo dados do Ministério da Saúde.

Além do tratamento médico, existem algumas ações que o próprio idoso pode fazer para se recuperar. Mas antes de tudo, é fundamental se aprofundar nas causas da síndrome pós-COVID-19 e como ela afeta tanto a população mais idosa.

Pensando nisso, nós resolvemos preparar este artigo para mostrar os principais sintomas e como essa síndrome pode ser tratada. Então, continue a leitura e saiba mais!

Quais os principais sintomas dos idosos com síndrome pós-COVID-19?

A síndrome pós-COVID-19, em geral, ocasiona alguns sintomas muito comuns em jovens e adultos. Entre eles, podemos citar:

  • dores de cabeça;
  • dores musculares;
  • queda de cabelo;
  • fadiga crônica;
  • alterações cognitivas;
  • perda de paladar e olfato temporários ou duradouros;
  • tonturas;
  • trombose;
  • depressão;
  • insônia;
  • ansiedade.

Porém, os idosos com síndrome pós-COVID-19 manifestam esses e outros sintomas com maior gravidade, principalmente relacionados a funções renais, cardíacas e ao sistema respiratório. Isso porque o longo período de internação e a inflamação no corpo causada pela doença abrem caminho para quadros de fibrose muscular. Dessa forma, resulta em dificuldades para respirar e se locomover. Em outros casos, leva à insuficiência cardíaca.

Outro grande problema causado pela síndrome é a sarcopenia. Desse modo, há a diminuição da massa muscular e o enfraquecimento dos músculos, aumentando o risco de quedas e, consequentemente, fraturas.

Quais são as indicações para ajudar idosos com síndrome pós-COVID-19?

A prática de atividades físicas regulares é uma das indicações para que idosos com síndrome pós-COVID-19 consigam restabelecer sua mobilidade e resistência física. Contudo, dependendo do caso, a prática de fisioterapia e reabilitação respiratória são as abordagens mais assertivas, especialmente em idosos que já estão com a saúde muscular, cardíaca e respiratória muito debilitadas. Além disso, é importante a adoção de uma dieta balanceada e rica em nutrientes.

Quais são as recomendações de nutracêuticos para esses casos?

Além da alimentação e prática de atividade física, o idoso pode acrescentar o uso de nutracêuticos para potencializar os resultados do tratamento. Assim, cada sintoma pode ter uma abordagem diferenciada.

Por exemplo, o Vazguard™ é um ingrediente baseado e Frações Polifenólicas da Bergamota (BPF) purificadas e com a tecnologia Phytosome® , para melhorar a biodisponibilidade em até 7 vezes dos compostos fitoquímicos, conforme demonstrado em estudo farmacocinético em humanos (Endocrine, Metabolic & Immune Disorders, 2019; 19: 136-143). Ele consegue extrair uma grande quantidade de polifenóis que contribui para melhorar todo o sistema cardiovascular prejudicado pela COVID-19.

Um dos grandes desafios no tratamento da síndrome pós-COVID-19 em idosos é a sarcopenia. Quando o assunto é melhora da massa muscular, temos o BODYBALANCE™. Trata-se de um Peptídeo Bioativo de Colágeno, ultra-hidrolisado que, associado à prática de exercícios de resistência, proporciona uma melhor composição corporal. Um estudo realizado em 60 homens portadores de sarcopenia com uma média de 72 anos de idade, publicado no British Journal of Nutrition (2015), comprovou que a associação de BODYBALANCE™ com exercícios de resistência promoveu o aumento de 4Kgs de massa muscular, além do aumento da força, comparado com o grupo controle.

Além disso, não podemos nos esquecer do tratamento para a insônia e falta de memória, problemas muito comuns no período da pandemia e um dos principais sintomas na síndrome pós-COVID-19. Por isso, é possível implementar o uso do Zembrin®, indicado para uma abordagem mais ampla na solução de problemas relacionados à parte cognitiva.

Ademais, existem outros suplementos que podem ser associados ao uso do Zembrin®, como:
  • Inositol e Bitartarato de Colina, substâncias existentes na vitamina B. Assim, atuando diretamente no metabolismo de lipídeos.
  • Magnésio Treonato, um tipo de mineral com atuação direta no cérebro.
  • Vimpocetine, um alcaloide que estimula o metabolismo cerebral.

Por fim, é importante que os idosos com síndrome pós-COVID-19 entendam que os problemas gerados pela doença podem ter soluções. Elas têm o potencial de resolver ou, pelo menos, reduzir os impactos causados. Nesse quesito, o médico observa o histórico do paciente e indica tratamentos multidisciplinares mais adequados.

Se você gostou de saber mais sobre este assunto, assine nossa newsletter. Desse modo, sempre ficará sabendo sobre as novidades da área médica e dos tratamentos mais inovadores.

Converse com especialista

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.