fbpx
doenças crônicas

Veja quais são as doenças crônicas mais comuns em idosos

As doenças crônicas, de fato, não são uma exclusividade da população idosa. Hoje, pessoas jovens também sofrem com alguns desses problemas. Mas não podemos deixar de mencionar que essas patologias costumam ser mais severas e limitantes em quem tem idade avançada.

A boa notícia é que a medicina já conhece muito sobre essas enfermidades. Por isso, além dos medicamentos capazes de controlar os sintomas, existem tratamentos complementares que podem aumentar a saúde do paciente.

Neste artigo, mostramos os números das doenças crônicas dos idosos brasileiros, além de alternativas simples de tratamentos auxiliares. Continue lendo!

Quais são as doenças crônicas mais comuns no Brasil?

O Estudo Longitudinal de Saúde dos Idosos brasileiros (ELSI) traçou o perfil dos pacientes com doenças crônicas. Estima-se que cerca de 69,3% das pessoas com mais de 60 anos tinham algum tipo dessas enfermidades. As mais comuns foram:

Além das doenças que atacam o corpo como um todo, existem algumas que afetam o sistema cognitivo. Alguns exemplos são o Alzheimer e a demência. Ademais, problemas relacionados à depressão e ansiedade também são muito comuns nesse público.

Quais são as causas das doenças crônicas nos idosos?

As doenças crônicas acontecem porque, ao longo dos anos, a maioria das pessoas enfrenta uma série de desafios e poucos se preocupam com a alimentação, prática de exercícios físicos, treinamentos mentais, entre outros pontos.

O acúmulo de danos constantes ao organismo faz com que ele comece, de fato, a falhar. Logo, os primeiros sintomas começam a se manifestar. Ao chegar na terceira idade, o corpo que está bastante desgastado com as agressões acumuladas ao longo da vida abre uma predisposição para o aparecimento de novas doenças.

Ou seja, as causas mais comuns das doenças crônicas em idosos envolvem o próprio processo de envelhecimento, o sedentarismo e a alimentação inadequada. Questões genéticas, obesidade, consumo excessivo de álcool e tabagismo também aumentam os riscos.

Como funcionam os tratamentos alternativos?

Durante anos, as pessoas acreditam que ao receber o diagnóstico de uma doença crônica estariam condenados a ficar presos a medicamentos. Além disso, com a certeza de que com o passar dos anos as coisas piorariam e as doses das drogas aumentariam.

Mas a ciência nos provou que não é bem assim que as coisas funcionam. Nesse sentido, um corpo que sofreu agressões ao longo da vida pode se recuperar de modo gradativo. Basta fazer o caminho inverso. Ou seja, passar a ter uma vida mais saudável.

A prática de atividades físicas é um dos fatores de maior importância nesse processo. Inclusive, existe um estudo publicado em uma das mais respeitadas revistas de medicina do mundo que comprova isso. Para complementar, a alimentação saudável e a suplementação nutracêutica também têm uma grande participação nesse processo de recuperação da saúde.

Ter uma dieta balanceada e contar com nutracêuticos capazes de suprir a deficiência de alguns nutrientes pode ser o início de um processo de recuperação. Falar no desaparecimento completo de uma doença crônica é algo muito complicado e pretensioso, apesar de existirem casos espalhados pelo mundo.

Sobretudo, com a aplicação desses recursos você pode aumentar o seu nível de saúde. Como consequência, estagnar uma ou várias doenças crônicas. Nesse caso, evitando o aumento nas doses de remédios e contribuindo para uma vida mais longa e saudável.

Então, gostou deste artigo? Se deseja continuar recebendo dicas para melhorar a sua saúde na totalidade, assine nossa newsletter.

Consultar Farmácias

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.